BREAKING

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Filmes Esquecíveis do Cinema - Resenha Cinéfila - Plano 9 do Espaço Sideral

Certamente você já deve ter ouvido aquela famosa frase que declama que "...é tão ruim que chega a ser bom".É assim que devemos nos referir a essa bomba do trash.

Plano 9 do Espaço Sideral
Pais - Estados Unidos
Ano - 1959
P&B
Duração - 79 min 
Direção - Edward D. Wood Jr.
Produção - J. Edward Reynolds
Roteiro - Edward D. Wood Jr.
Narração - Criswell
Género - Ficção científica, horror
Música - Frank Worth
Cinematografia - William C. Thompson
Edição - Edward D. Wood Jr.
Companhias produtora - Reynolds Pictures
Distribuição - Distributors Corporation of America
Lançamento - 2 de julho de 1959
Idioma - Inglês
Receita - US$60.000

Gregory Walcott Jeff Trent
Mona McKinnon Paula Trent
Duke Moore Tenente John Harper
Tom Keene Coronel Tom Edwards
Carl Anthony Policial Larry
Paul Marco Policial Kelton
Tor Johnson Inspetor Dan Clay
Dudley Monlove Eros
Joanna Lee Tanna
Bunny Breckinridge Ruler
Lyle Talbot General Roberts
David De Mering Danny
Norma McCarthy Edith
Bill Ash Capitão
Reverendo Lynn Lemon Reverendo no funeral
Ben Frommer Homem no funeral
Gloria Dea Mulher no funeral
Conrad Brooks Policial Jamie
Maila Nurmi Vampira
Bela Lugosi Vampiro
Criswell Narrador
Edward D. Wood Jr. Homem segurando um jornal
Tom Mason Vampiro com uma capa sobre o rosto

Uma dupla de alienígenas que estava irritada com as "estúpidas mentes" do planeta Terra faz sua base em um cemitério da Califórnia, pois planejavam através do "Plano 9", que se refere a um eletrodo de longa distância que é colocado nas glândulas pineal e pituitária dos mortos, criar um exército de zumbis que marchassem para conquistar as capitais do mundo. O fato de ressuscitarem só três mortos não os desencoraja. Jeff Trent (Gregory Walcott), um piloto de uma linha aérea que vive perto do cemitério precisa salvar Paula (Mona McKinnon), sua mulher, destes seres.

Dirigido pelo infame e divertido cineasta Ed Wood, tido como o pior diretor de todos os tempos, Plano 9 foi considerado o pior filme já realizado em Hollywood e por méritos que não se tem o que discordar.

Para iniciar os trabalhos, vale apenas mencionar a figura conhecida como Ed Wood. Foi um produtor e diretor estadunidense de filmes de terror, ficção científica e eróticos. Seus trabalhos se destacaram pela inventividade frente aos limitados recursos técnicos e orçamentários dos quais dispunha. Com efeitos especiais considerados um tanto quanto duvidosos no que diz respeito à qualidade, tinha cenas muitas vezes apresentadas de forma descontínua, com reaproveitamento constante de material não utilizado em outras produções. Ed não tinha talento algum para o cinema,mas era um apaixonado pela 7ª arte.Ele movia céus e terras,mundos e fundos somente pelo prazer de dirigir ou comandar uma produção,não se importando com a qualidade.Não por menos ele é portador desse reconhecimento inglório de pior de todos os tempos.Seus filmes eram de baixíssimo orçamento e o elenco escalado por ele eram figuraças. Ed também metia-se a escrever os roteiros de seus filmes.Imagine então a bagaça:ela era produtor,diretor e roteirista.

Plano 9 é uma produção tão tosca,que chega a ser divertida,como mencionei. A história dessa produção é digna de uma comédia.O caso é que o Wood era megalomaníaco no que diz respeito a cinema. Como dito, ele não sossegava enquanto não arrumava meios de comandar suas toscas produções. Para se ter ideia,o orçamento para essa joia (60 mil dólares) ele conseguiu através dos membros de uma igreja,convencendo os figuras e os ludibriando a bancar a produção. Ele afirmava aos membros da igreja que a presença póstuma do Bela Lugosi, ao qual comentaremos mais abaixo esse fato, faria que o filme fosse um sucesso. Para conseguir o financiamento, Ed e toda a sua equipe se batizaram na Congregação Batista, pois só assim eles liberariam o dinheiro e ele até deixou que os integrantes dessem palpites e questionassem a produção.


Vamos começar pelo elenco, verdadeiras figuraças. Wood utilizou o "ator "Tor Johnson e a personagem "Vampira" no elenco. Vale uma nota sobre esses dois:Tor deve sua carreira justamente ao Ed,que o colocou como estrela em alguns de seus filmes anteriores a esse título.Antes disso ele foi um lutador de wrestling profissional de ascendência sueca, tornando-se conhecido pelo seu estereótipo grandalhão careca e de força bruta. Um fato ainda mais engraçado é que a expressão de morto vivo utilizada por ele nesse filme,depois ficou famosa por sua caracterização de máscara de Halloween. Vampira era na verdade uma personagem criada pela atriz Maila Nurmi. Ela surgiu ao acaso, quando, em um baile de máscaras, um produtor de televisão achou interessante a fantasia que Maila usava. Maila foi convidada a fazer parte de uma série televisiva, conhecida como The Vampira Show, que teve duração de 1 ano. Com o cancelamento da série, Maila reteve os direitos da personagem. Após isto, a personagem Vampira apareceu em várias séries e filmes, fazendo aparições importantes. Sua aparição mais notável foi no filme Plano 9 do Espaço Sideral, do  Ed Wood.Justamente por ele gostar da personagem. Antes disso ele a assediara para que lhe prestasse favores, inclusive nas tentativas de conseguir financiamento para seus filmes, mas ela sempre recusara. Enfim, desempregada, acabara dando o braço a torcer e topou participar do Plano 9. Mas realmente o grande destaque entre o elenco, é a "não-participação" do lendário Bela Lugosi. Famoso até hoje como um dos grande intérpretes do Conde Drácula,por aqueles tempos sua carreira estava estacionada e ele caíra no esquecimento. Acontece que o Ed era um grande fã do Lugosi e resolveu o escalar para trabalhar em suas produções.
Plano 9 seria a sua última produção.Três anos antes, em 56, Ed filmara algumas cenas envolvendo o ator . As sequências mostravam Lugosi em um enterro; em frente a uma casa, com um ar abatido; e, finalmente, andando misteriosamente por um descampado. Foi quando Bela morreu e Wood arquivou o que já havia rodado.Cerca de dois anos depois, o `pior diretor de todos os tempos` lembrou-se das cenas filmadas e aproveitou o fato para conseguir verba para seu mais novo roteiro. Querendo prestar uma homenagem ao ídolo, qual foi a saída encontrada por Wood após sua morte? Escalou o médico quiroprático de sua namorada para continuar dando vida ao personagem do Bela. Bem mais jovem e alto que o falecido, ele passa a grande parte do tempo  escondendo o rosto atrás de uma capa.

A parte técnica do filme é outra piada à parte. Imagine no final dos anos 50,um filme de sci fi realizado numa época em que não haviam recursos técnicos convincentes,de orçamento ridículo e ainda por cima escrito e dirigido por um diretor como o Wood? O que se pode esperar?


Os cenários eram todos feitos de papelão. Os discos voadores,se falar você não consegue sequer imaginar: são controlados por barbantes amarrados em varas de pescar. Para completar o tragicômico,os barbantes ficam expostos. As cruzes do cemitério, também de papelão ficavam balançando contra o vento. O maior problema  do pobre Ed era sua completa desatenção para com o que estava  sendo filmado. Relapso ao extremo, ele não se importava que as cruzes e as lápides falsas do cenário caissem, durante a cena, revelando a fraude. Além disso, várias cenas do filme ficam variando entre o dia e a noite, dependendo do ângulo em que são filmadas. Um imperdoável erro de continuidade.

O interior da nave espacial era um simples quartinho com uma escada e uma mesa com uma parafernália em cima.As cenas do exército, Wood utilizara filmagens de arquivo que adquiriu de um estúdio que tinha feito vários tomadas ao acaso. E quando os canhões do exército americano disparam contra os discos voadores, estalidos e bombinhas pipocam na tela como se estivessem sendo atingidos. Coloque também nessa conta os erros crassos de continuidade. Os efeitos (ou melhor: `defeitos`) especiais do filme são antológicos: o planeta alienígena chega ao ponto de ter uma pequena protuberância por onde ficava suspenso em frente a um painel escuro. Os discos voadores, que mais parecem pratos de papel, ficam balançando desengonçadamente pelos `céus` de Hollywood. O roteiro é uma besteira sem tamanho. Um bando de alienígenas viajam anos luz para utilizar suas armas de elétrodos com raios e ressuscitar nossos mortos, enquanto tentam destruir a humanidade antes que os cientistas terráqueos consigam descobrir a bomba Solaronite, que imitaria partículas dos raios solares e se fosse usada, colocaria todo o universo em risco. Claro que cabe aos heróis enfrentar os zumbis, os alienígenas e salvar o mundo.

Todos os personagens são caricatos. Não dá para levar nenhum sequer a sério. Tor Johnson, interpreta o inspetor Clay, que morre e volta à vida também. Vampira é a esposa do Velho (nome do personagem de Lugosi),ela não tem uma fala o longa inteiro e fica andando para lá e para cá com sua expressão estática e braços duros, carregada de maquiagem. Os policiais são estúpidos. O piloto Jeff Trent  é um canastrão de mão cheia, na vida real era líder do coro da igreja que financiou o filme (e por conta disso os membros da igreja impôs a presença do sujeito à Wood). O coronel Edwards (Tom Keene) é outro tosco. Os alienígenas Eros, Tanna e seu líder (John “Bunny” Beckinridge, velho amigo transex de Wood) então nem se fala. Sorte do Ed que ele amava o cinema,pois não ganhou um centavo sequer por esse filme,uma vez que os direitos cabiam aos "produtores",ou seja,os membros da igreja que bancou a obra.Ed declarava que esse filme era a sua obra-prima e o tornaria num futuro qualquer,famoso.Imagine então o que se considerava como o pior de sua obra.

Mas sabe o mais engraçado de tudo? Após a morte de Ed, o filme tornou-se uma pérola do gênero trash e conquistou seus admiradores e fãs,mais por conta dos elementos aqui destacados que fizeram desse filme algo curioso e divertido em se conferir,só para ver a que ponto chegava a tosquice de certas coisas. Por sua vez, Ed também ficaria famoso, mas só depois de ter batido as botas. Morreu pobre e ainda mais decadente no que dizia respeito ao cinema. A bizarrice de suas produções o fizeram uma figura curiosa e popular. Nos anos 90 o diretor ganhou uma cinebiografia, comandada por Tim Burton e estrelada por Johnny Depp,que resgata grande parte de sua divertida carreira de diretor.

E se você ficou curioso e quer rir um pouco, Plano 9 está disponível no Youtube, assim como a cinebiografia,intitulada justamente por Ed Wood. Ah! E Boa sorte.





Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Infinitamente Nosso
Design by FBTemplates | BTT