BREAKING

sábado, 15 de julho de 2017

Especial Homem Aranha - Resenha Cinéfila - Homem Aranha - O filme - 1977

A partir desse post,o foco será as resenhas sobre todas as produções lançadas com o Homem-Aranha nas telonas.Como dito na postagem que tratou a respeito das versões live action para a tv,em 1977 foi realizado um episódio piloto que abriu o seriado tosco com o personagem.Esse episódio foi exibido em muitos países nos cinemas,em formato de longa metragem.Assim sendo,vamos retratar o mesmo nesse formato e nas próximas postagens,destacaremos a trilogia do Sam Raimi mais o reboot lançado em 2012.




Homem Aranha - O Filme
Dirigido por EW Swackhamer
Produzido por Charles W. Fries, Daniel R. Goodman, Edward J. Montagne
Escrito por Alvin Boretz
Baseado em Homem-Aranha por Stan Lee, Steve Ditko
Música por Johnnie Spence
Cinematografia Fred Jackman
Editado por Aaron Stell
Produção Empresas Danchuck Produções 
Marvel Television
Distribuído por Fotos de Columbia
Data de lançamento 14 de setembro de 1977
Tempo de execução 90 minutos
País Estados Unidos
Língua Inglês

Nicholas Hammond - Homem-Aranha / Peter Parker
David White - J. Jonah Jameson
Michael Pataki - Capitão Barbera
Hilly Hicks - Joe "Robbie" Robertson
Lisa Eilbacher - Judy Tyler
Jeff Donnell - Aunt May Parker
Robert Hastings - Monahan
Ivor Francis - Professor Noah Tyler
Thayer David - Edward Byron

O jovem Peter Parker é picado por uma aranha radioativa e ganha poderes e habilidades iguais as do aracnídeo. Fantasiado com a roupa que ele próprio costurou, passa seus dias combatendo o crime na cidade e mantendo sua identidade em segredo

Como dito,essa produção lançada nos cinemas foi na verdade o piloto do seriado que foi exibido por aqui no início dos anos 80.Ao final dos anos 70,era comum lançarem episódios longos das séries como se fossem longa metragens.Justamente por isso,em 1979,(2 anos depois de sua concepção),o famigerado episódio de estreia da série com o Aranha foi exibido em nosso país.É bom frisar que por esses tempos,o próprio seriado já havia sido cancelado,mas por aqui as coisas só chegam atrasadas mesmo até hoje,então não faziam diferença.

Um ano antes,Superman-O Filme,a mega produção da Warner Bros,dirigida por Richard Donner,havia estourado no mundo todo,arrecadando uma enorme bilheteria,(confira detalhes nas colunas Inesquecíveis do cinema e Grandes Personagens).Então,os proprietários de cinema querendo pegar carona,trataram de lucrar em cima de mais uma produção envolvendo super-heróis,coisa que não era tão comum por aqueles tempos como é hoje.Mas querer comparar uma das maiores produções do gênero  com uma produção furreca de tv,chega  ser ridículo.

Bancado como vimos,pela emissora CBS,o filme foi dirigido por um tal de  E. W. Swackhamer e lançado na tv americana em 1977.O roteiro do filme é uma sucessão de elementos constrangedores e uma falta de lógica e bom senso incríveis.A história tenta apresentar a origem do personagem,com uma enxurrada  de ideias que descaracterizaram por completo o que os fãs dos quadrinhos conheciam.

​Primeiramente,Peter não é mais um adolescente colegial,mas um fotógrafo freelancer,(fato corroborado pelo seu intérprete,o Nicholas Hammond,que já passava dos 25 anos nessa ocasião) e já vive perambulando pelo Clarim Diário.Nas horas vagas,ele trabalha num experimento de laboratório na faculdade, envolvendo aranhas radioativas.Bom,desnecessário citar que ele é picado por uma né?

Mal saiu do laboratório,os poderes da aranha começam a dar sinais de vida,quando,para escapar de ser atropelado,ele gruda numa parede e sai escalando um edifício,como se fosse a coisa mais normal do mundo.Depois disso,ele vai testar seus superpoderes por aí calmamente.Em dado momento,Peter acaba detendo um batedor de bolsas qualquer,é quando os boatos de um suposto "Homem-Aranha" tomam conta da cidade.Então,o chefão do Clarim,Jameson, fica louco querendo fotos do tal herói,Peter surge com essas fotos,confecciona um uniforme furreca e vai combater o crime.

O curioso é que não existe uma clara motivação para Peter usar seus poderes no combate à criminalidade. Não ocorre o assassinato do Tio Ben, que aliás,sequer se faz presente na obra,e como todos sabem, foi o fio condutor de seu incentivo em usar seus poderes em prol do bem comum. Já a tia May, não faz mais que uma ponta canastrissima, só pra encher linguiça. Dos personagens conhecidos da mitologia, só quem dá as caras é J.Jonah Jameson. E os clássicos interesses amorosos do Peter, como Mary Jane ou Gwen Stacy são simplesmente ignoradas. Para compensar, surgem personagens criados para essa produção, como Capitão Barbera, possivelmente um genérico do Capitão Stacy, pai da Gwen e o Robbie Robertson,que trabalha no Clarim e depois não aparece mais na série.

A falta de dinheiro e até mesmo de recursos técnicos não permitiram nenhum super vilão se fazer presente.Quem surge aqui é um vilão genérico chamado Byron e suas motivações são mais ridículas que se possa imaginar.Ele hipnotiza as pessoas,transformando em zumbis e e as faz tentar cometer roubos e depois se suicidarem.Ele passa então a chantagear a cidade.Caso  não paguem um resgate de 50 milhões de dólares,mais pessoas terão o mesmo destino.Cabe ao nosso herói deter os planos do malfeitor.

É com esse fiapo de roteiro que o Aranha foi apresentado nos cinemas de diversos países por aquele tempo.Os recursos de efeitos especiais você já conhece,basta rever o post a respeito do seriado.Essa produção é na verdade um tragicômico do trash,e como tal,possui cenas antológicas.Uma delas é quando o Aranha enfrenta 3  japoneses,que o atacam com bambus.A sequência de ação não faz feio a nenhuma cena protagonizada pelos inesquecíveis Trapalhões.Um dos japas acerta a canela do Aranha e ele segura a perna que não foi atingida,gritando de dor.Joga uma teia parecida com algodão doce,que mal tem serventia,pois em poucos segundos,está sendo atacado de novo.A coreografia das lutas deixa qualquer garotinho de 5 anos envergonhado.O nosso herói distribui chutes igual a um cavalo enfezado.O cúmulo ocorre quando ele percebe que não dá conta do trio e pra não apanhar mais do que já tinha,resolve estrategicamente dar no pé.Curioso como a sua superforça,agilidade,sentidos de aranha,não tinham utilidade quando mais se precisava.

Por incrível que pareça,essa joça até que fez sucesso por aqueles dias.Atualmente o "filme" está disponível em youtube e dá pra se assistir e tirar suas conclusões.Até hoje esse troço não foi lançado em dvd.No Brasil a LK-Tel, distribuidora de vídeo da Columbia Pictures, lançou em 1988 o piloto e último episódio da série em VHS, apenas legendados, e outras distribuidoras menores como a Reserva Especial lançou outros episódios também em VHS, estes redublados.

Espantosamente,essa não foi a única empreitada do personagem nesse formato,visto nos cinemas.Por volta de um ano depois chegava ao cinema “Homem-Aranha Volta a Atacar”, originalmente o episódio em duas partes “The Deadly Dust”, e, finalmente, em 1981, chegou aos cinemas brasileiros “Homem-Aranha e O Desafio do Dragão”, originalmente o episódio duplo “The Chinese Web”, o último da série.Nesse mesmo ano,a Globo começaria a exibir o seriado.Pior que até que ele tinha audiência por aquele tempo

Depois disso,o personagem só seria visto nas telonas,duas décadas depois,felizmente,numa versão mais decente.


Bônus:as tentativas frustradas de realizar os filmes do Homem-Aranha nos anos 80 e 90

Nas décadas acima citadas, foram muitas as tentativas de se transpôr o Aranha para as telonas. O principal envolvido nessa empreitada foi o estúdio picareta,Canon Films, que, nos anos 80,era o principal produtor dos filmes B e C de Hollywood. Alguns inclusive são integrantes ilustres da coluna Filmes esquecíveis do Cinema.

Considerado uma pequena produtora,a Canon não disponibilizava de grandes recursos ou orçamentos para bancar seus filmes.Geralmente o teto de suas produções ficava em torno de 10 milhões,ultrapassar esse montante seria pedir falência.Mas os chefões do estúdio,os primos Menahen Golan e Yoran Globus,vez ou outra temiam arriscar e dar um passo maior que as pernas.E geralmente não se davam bem com isso.

Querendo se tornar uma produtora de respeito,a dupla sonhava em emplacar um projeto que desse a eles a visibilidade e o retorno financeiro suficientes para grandes projetos.Por aqueles tempos,o exemplo mais bem sucedido de super-herói transposto para as telonas eram os dois primeiros filmes do Super-Homem,com Chis Reeve. Porém,em 1983,Superman 3 tornou-se um pesadelo para a Warner.(Confira tudo isso na coluna dos Grandes Personagens e Esquecíveis do Cinema).

Seguindo aqueles exemplos,eles sonhavam então em realizar o primeiro longa metragem com o famoso herói da Marvel,Homem-Aranha.Não sei se foi sorte ou azar do herói,mas o filme não aconteceu.Quem conhece os filmes da Canon,sabe do que estou falando.Mas vamos ver os motivos que impediram.

Em 1984,a dupla negociou com a Marvel os direitos de transposição do personagem e em seguida já saíram anunciando o projeto,comprando uma página na Variety (famosa revista semanal especializada em cinema) e publicou o primeiro anúncio de "Spider-Man - The Movie", com produção executiva de James Galton e Joseph Calamari (Galton era presidente e Calamari um diretor da Marvel à época). Isso sem ter um roteiro pronto,nem todo um planejamento de produção.Isso é que era confiança.

Ao longo dos anos,porém,o projeto mostrou que jamais sairia do papel por vários motivos.Entre eles,a falta de dinheiro suficiente e o fracasso de outras produções bancadas pelo estúdio,que deram um tremendo prejuízo.Acreditando que tais projetos poderiam dar o retorno necessário para bancar a produção do Homem-Aranha,a dupla investia até mesmo 20 milhões em filmes como Mestres do Universo,Falcão-O Campeão dos Campeões e Superman 4.Todos foram fracassos de bilheteria.

Muitos nomes conhecidos foram ligados à produção,ao longo de 6 anos:entre eles,os diretores Tobe Hooper e Joseph Zito.Um detalhe que atrapalhou bastante os planos da Canon,foram os péssimos roteiros desenvolvidos,com ideias que não respeitavam em nada a origem e mitologia em torno do personagem.Num desses,só para exemplificar,Peter trabalharia numa espécie de laboratório,e seria bombardeado com raios radioativos,sofrendo uma espécie de mutação transformando-se numa criatura de 8 patas (???).As ideias chegaram a conhecimento público,os fãs detestaram e o próprio Stan Lee pediu mudanças no roteiro.Felizmente tal coisa não se concretizou.Essa era a qualidade dos "profissionais" a serviço da Canon.Até um roteirista de filmes pornôs foi contratado para desenvolver um novo roteiro,já que esse não colava mesmo.Por incrível que pareça,as novas ideias,que tinham pitacos do Lee,foram bem aceitas e segundo contam eram fidedignas aos quadrinhos.O vilão seria o Dr. Octopus.Mas o Tobe Hooper,que deveria comandar essa obra,acabou se afastando da Canon.

Joseph Zito,velho conhecido dos chefões, tomou seu lugar.Ele tinha no currículo os bem sucedidos:Bradock-O Super Comando e Invasão dos Estados Unidos,todos com Chucky Norris,para a própria Canon.O herói seria interpretado pelo desconhecido dublê Scott Leva,e para excitar a ansiedade dos fãs,ele chegou a fazer fotos de divulgação vestindo o uniforme do Aranha, e uma delas foi usada na capa da revista "The Amazing Spider-Man" nº 262, de março de 1985.A produção parecia que iria deslanchar.Estúdios na Inglaterra e Itália foram escolhidos para as filmagens e até testes de efeitos especias foram realizados.1,5 milhão foram gastos só com esses detalhes e a Canon mais uma vez se empolgou e  chegou a comprar duas páginas na edição de outubro de 1985 da Variety para divulgar "Spider-Man - The Movie". Inclusive,chegaram a adiantar que o filme seria lançado em dezembro de 1986.

Então,o novo diretor resolveu mexer no roteiro,com a ajuda de um dos próprios produtores,o Menahen Golan,que era metido também a dirigir e roteirizar.Modificaram algumas coisas e deixaram o filme mais violento.E temendo investir mais de 20 milhões na concepção do filme,já que os últimos representantes do gênero por aqueles tempos,(Superman 3-1983 e Supergirl-1984) foram verdadeiros fracassos,eles decidiram bancar antes um outro projeto,esperando que ele desse retorno financeiro suficiente pra investir no Aranha.O tal projeto foi nada menos que o sofrível Superman IV,(busque informações na coluna dos Esquecíveis do Cinema).O filme feito com 17 milhões nem recuperou os seus custos.No mesmo ano,outra rebordosa:Mestres do Universo,versão live action da famosa animação oitentista,He-Man,foi mais um balde de água fria.No prejuízo,sobrou para o Homem-Aranha.Sem dinheiro,a produção teve de ser cancelada.

Temporariamente,a Canon perdeu os direitos de adaptação para outra produtora,que também não conseguiu tocar o projeto adiante.Ainda confiantes que conseguiriam,eles reconquistaram os direitos em 1988.Com os prejuízos do Superman e He-Man,eles decidiram não investir mais que 10 milhões no filme do Aranha,e contrataram um novo diretor,o Albert Pyun.O diretor chegou a dar entrevistas falando sobre a adaptação do Aranha - uma delas publicada na revista Cinefantastique em 1988. Um novo roteiro com um novo vilão teve de ser desenvolvido,pois o orçamento não permitiria bancar os efeitos do Dr,Octopus.Segundo contam seria um cientista chamado  Russell Tanner, que se transformava num híbrido de humano e morcego chamado The Night Ghoul

E lá sé foram os produtores divulgarem novamente a produção na Variety,que,meses depois,lançou uma entrevista com o próprio Stan Lee. Para variar,mais uma vez os péssimos roteiros e a falta de dinheiro foram um empecilho.O roteiro foi revisado várias vezes e nenhuma das ideias agradavam.Já o orçamento do filme caiu ainda mais,obrigando cada vez mais a promover modificações para os custos se adaptarem ao que se dispunha.Até o provável Peter Parker,o dublê Scott Leva,deu uma entrevista declarando que as ideias eram péssimas.

Acontece que a Cannon tinha planos de filmar,em conjunto com o Aranha,a sequência Mestres do Universo 2.Porém,devido a seus problemas financeiros,tanto a empresa Matel,dona dos direitos do He-Man quanto a Marvel,romperam com a Canon,minguando o patrocínio e uma das poucas fontes de dinheiro que eles dispunham para bancar os filmes.Em 1989,a produtora declarou falência e fechou as portas.

Mas Menahen Golan não entregou o ouro.Ele fundou uma nova empresa e continuou sonhando em realizar o filme do Homem-Aranha.Ele recuperou o roteiro que tinha o Dr. Octopus como vilão e chegou a fechar um acordo com a Columbia Pictures para distribuição do filme nos States.Uma das primeiras exigências foi modificações na história.Só pra não passar em branco,ele foi mais uma vez na Variety,anunciar o projeto,prometendo que em 1990 o filme finalmente sairia.Não sei como os editores dessa revista ainda lhe davam crédito,pois ele passou mais de 6 anos batendo nessa tecla.

O máximo que Golan conseguiu dessa vez foram alguns testes de efeitos especiais realizados em 1990 pela empresa canadense Light and Motion e pelo animador em stop-motion Steven Archer, que trabalhara em "Krull" e "Fúria de Titãs".Por fim,sabendo que jamais conseguiria fazer aquele filme com um orçamento pequeno,ele desistiu de vez do personagem e bancou o tosco filme do Capitão América,de 1990,cuja resenha você pode conferir na coluna Nossas resenhas.

A saga do Aranha continuou em outra produtora,a Carolco,nos anos 90.No currículo,nada menos que "Rambo 3", "O Vingador do Futuro" e "O Exterminador do Futuro 2". Com muito mais nome que a Cannon Pictures,isso era óbvio,o projeto do herói chamou a atenção de ninguém menos que James Cameron,que se propôs a dirigir.

Ele se responsabilizou pelo roteiro também,mostrando a origem do herói e introduzindo dois vilões conhecidos:Electro e Homem Areia.Segundo contam,a história era boa,mas bem violenta e envolvendo até cenas de sexo.E a Carolco queria um filme mais ameno,logicamente por conta do público adolescente e visando a censura que influenciaria na bilheteria.Foi a vez da Carolco anunciar a produção na Variety.James depois mudou os vilões,o Dr. Octopus voltou a dar as caras e segundo contam,ele queria Leonardo Dicaprio e Arnold Schwarzenegger vivendo o Aranha e o Octopus.

Porém,o projeto com o super-herói parecia ser amaldiçoado.Foi a vez da Carolco falir,e com ela,as pretensões de Cameron,que decidiu então filmar o Titanic.Mas até hoje nos perguntamos:como teria sido esse filme,realizado pelo fantástico James Cameron???

Um outro estúdio conhecido entrou na história,a MGM,que adquiriu os direitos e tencionou bancar a produção.Para variar,a empreitada também não foi adiante.

Uma década depois,o grande personagem mostraria ao mundo que não era pé frio em relação a Hollywood.O que faltava mesmo era um estúdio forte e dinheiro às pampas.Isso veremos a partir do próximo post.


Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Infinitamente Nosso
Design by FBTemplates | BTT