BREAKING

domingo, 17 de julho de 2016

Eles são Pop... Bud Spencer & Terence Hill

Os quarentões fãs de cinema certamente se recordam com carinho de uma das duplas mais carismáticas, cômicas e impagáveis que o cinema europeu já nos presentou, os inesquecíveis Terence Hill e Bud Spencer. Figuras constantes do cinema, a parceria entre esses dois rendeu 18 produções, que levaram muita diversão aos frequentadores das salas de exibição nos anos 70/80 e parte dos 90. Foram marcantes para toda uma geração e certamente estiveram presentes na infância e juventude de muita gente. Recentemente ficamos órfãos do Bud Spencer, falecido agora em junho. Em homenagem a esse eterno grandalhão, vamos recordar agora a parceria da dupla, um pouco da carreira dos dois e alguns de seus filmes mais memoráveis.


Bud Spencer

Seu nome verdadeiro foi Carlo Pedersoli, ele adotou o pseudônimo Bud em homenagem a uma famosa marca de cerveja, a Budweiser e Spencer em homenagem ao ídolo Spencer Tracy. Nascido em Nápoles em 31 de outubro de 1929, Bud de tudo foi um pouco, advogado, nadador olímpico, com passagem por duas olimpíadas e funcionário do consulado da Itália na capital pernambucana, Recife, nos anos de 1947 a 1949. Também foi autor do registro de diversas patentes. Era poliglota, falava 6 idiomas.

Como nadador conquistou muitas premiações, com apenas 20 anos, começa competir com as cores do SS Lazio, proclamando-se campeão italiano de natação nos 100 metros livres, título este que ele viria a conquistar por 7 vezes consecutivas (1949 a 1956). Além disso, ele foi o primeiro italiano a nadar 100 metros, em estilo livre, em menos de um minuto. As boas performances valeram a Pedersoli a convocação para disputar o Campeonato Europeu de natação em 1950, disputado em Viena (Áustria). Não foi campeão, mas permaneceu no time para disputar em 1951 a primeira edição dos Jogos do Mediterrâneo, onde conquistou a medalha de prata nos 100m livres.As boas performances valeram a Pedersoli a convocação para disputar o Campeonato Europeu de natação em 1950, disputado em Viena (Áustria). Não foi campeão, mas permaneceu no time para disputar em 1951 a primeira edição dos Jogos do Mediterrâneo, onde conquistou a medalha de prata nos 100m livres.


A carreira como ator começou cedo também. Em 1949, na comédia Quel fantasma di mio marito e em Hollywood, no filme Quo Vadis, com um papel de guarda do Império Romano, uma pequena participação. Depois a carreira deslanchou, principalmente no cinema italiano, onde ele atuou de 1967 a 2010. Bud foi também diretor e produtor ao longo da carreira.

Terence Hill

Mario Giuseppe Girotti é seu verdadeiro nome. Nascido em Veneza, 29 de março de 1939, a carreira iniciou em 1963, tendo prosseguimento também no cinema italiano até 2009. Hill tem um personagem recorrente na carreira, o pistoleiro Trinity, figura em vários filmes do gênero western Spaghetti.

Seu primeiro filme foi em 1963 - Il gattopardo, de Luchino Visconti - (O Leopardo), no qual fez uma pequena participação. 

A Parceria

Essa dupla iniciou uma das maiores parcerias já vistas nas telonas em 1959, com o filme Aníbal, produção italiana dirigida por Carlo Ludovico Bragaglia. O elenco contava ainda com Victor Mature, um dos nomes mais populares do cinema cinquentista. Na verdade,o primeiro filme não conta com os dois como protagonistas, eles surgem como coadjuvantes sem muto destaque.

O protagonismo viria quase uma década depois com Deus Perdoa, Eu Não, de 1967, seguido por Os Quatro da Ave Maria, de 1968, dois westerns típicos da tradição do cinema italiano. No ano seguinte veio A Colina dos Homens maus. Um ano depois, um novo encontro em Trinity É o Meu Nome, de 1970 e Trinity Ainda Ainda é Meu Nome e O Corsário Negro, de 1971. Depois disso, eles não pararam mais de se encontrar em meados dos anos 70 e 80.

Na sequência vieram, Dá-Lhe Duro Trinity-1972, A Dupla Explosiva e Dois Missionários do Barulho-1974, Dois Tiras Fora de Ordem-1977, Pari e Dispari-1978, Nós Jogamos com os Hipopótamos-1979, Quem Encontra Um amigo Encontra Um Tesouro-1981, Dois Contra o Oeste-1983, Eu,Você, Ele e os Outros-1984, Os dois Super-Tiras em Miami-1985 e seu último filme juntos quase uma década depois, A Volta de Trinity/os encrenqueiros, de 1994.

Ao longo de duas décadas a dupla se revesou nos gêneros western e aventura, sempre protagonizando muita pancadaria divertida e tiroteios impagáveis. Mas um lado curioso disso tudo é que a violência era caricata e cômica. As cenas de lutas por exemplo sempre eram voltadas ao humor e ao escracho, com o personagem do Bud distribuindo sopapos que jogavam seus adversários longe.A força física era um de seus maiores atributos. Já o Hill era um sujeito mais acrobático e não economizava nas piruetas.

Tinham um jeito particular de brigar: Terence Hill fazia malabarismos que distraíam seus oponentes, o que lhe dava a oportunidade de "embolachar" a bandidagem enquanto ela tentava entender o que estava acontecendo. Já o brutamontes Bud Spencer dava tapas na cabeça dos vilões, que os faziam rodopiar no ar. E o mais engraçado é que os dois faziam isso na maior tranqüilidade, mesmo combatendo uma gangue inteira.

Os fãs consideram Dupla Explosiva, de 1974, um de seus melhores filmes. Nele há uma seqüência memorável, com Bud Spencer acompanhando um coral enquanto Terence Hill tenta avisá-lo que os bandidos estão por perto.


A cena final de Eu, Você, Ele e os Outros é particularmente curiosa: Hill e Spencer aparecem em pleno estádio do Maracanã, onde assistem ao gol de Romerito que daria o título brasileiro de 1984 ao Fluminense sobre o Vasco.

No intervalo das produções que marcavam seus encontros, a dupla protagonizava outras produções separados. Como destaque, o Spencer tem em sua filmografia os cômicos Banana Joe, de 1982 e Aladim, de 1986. Mas o que os fãs gostavam mesmo era de ver os eternos parceiros em cena.

Em 1984 aconteceu um encontro raro, a dupla veio ao Brasil e foram entrevistados no famosíssimo programa dos Trapalhões. Renato Aragão, Dedé, Muçum e Zacarias interagiram com eles e chegaram até a protagonizar alguns minutos de sopapos com os dois. O Bud surpreendeu, falando o português fluentemente, lembrando de sua passagem pelo Brasil nos anos 40. Vale lembrar que nos anos 80 e 90, a sessão da tarde exibia bastante os filmes de ambos. Pena que esses tempos ficaram para trás. Atualmente alguns de seus filmes chegaram em DVD, para a alegria de seus fãs, mas no youtube grande parte de sua filmografia é encontrada em boa imagem e qualidade de áudio.

Infelizmente, a dupla guardou uma mágoa após tantos anos de carreira. Ao se separarem e deixar de estrelar filmes juntos, aos poucos eles cairiam no esquecimento de alguns fãs e da mídia e não tinham o reconhecimento que lhes eram devidos. As carreiras de ambos foram estacionando e eles se viram relegados a produções sem destaque algum ao longo dos anos. Posteriomente, o Bud lançou um livro com a sua biografia.


Mas em 2010, o cinema italiano lhes prestou uma grande homenagem. A dupla recebeu o prêmio David di Donatello, o Oscar daquele país. Ao subirem no palco, ambos foram saudados e aplaudidos de pé por todos os que estavam presentes.


A dupla, mesmo sem protagonizar mais nada, jamais perdeu o contato um com o outro. Infelizmente a separação definitiva ocorreu em 27 de junho passado, quando o Bud com 86 anos, faleceu. O eterno parceiro compareceu ao velório do amigo e ficou bastante emocionado com a despedida.

Os fãs que acompanharam as produções com os astros,certamente jamais se esquecerão de ambos. Ficou todo um legado que deve e é obrigatório ser compartilhado para as novas gerações de fãs de cinema.


Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Infinitamente Nosso
Design by FBTemplates | BTT